BOM DIA, BOA TARDE, BOA NOITE E BOA SORTE. QUE DEUS NA SUA INFINITA BONDADE NOS ILUMINE HOJE E SEMPRE.
CLEMENTINO POETA E MUSICO
RECANTO DAS CANÇÕES E POEMAS DO CLEMENTINO. POETA E MÚSICO CAIÇARA DE SÃO SEBASTIÃO - SP/BR
CapaCapa TextosTextos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Áudios

MENSAGEM AOS AMIGOS SANTISTAS - LEÃO DO MAR
Data: 20/07/2014
Créditos:
Os eventuais créditos relativos a música LEÃO DO MAR deverão ser dados aos seus autores e compositores MAUGERI NETO e MAUGERI SOBRINHO, seus herdeiros ou eventuais sucessores. Os créditos relativos ao texto MENSAGEM AOS AMIGOS SANTISTAS devem ser dados ao subscritor BENEDITO CLEMENTINO DA SILVA (CLEMENTINO MÚSICO).
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Depósito em minha c. c. oportunamente.). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


 
MENSAGEM AOS AMIGOS SANTISTAS

 
 
Eu comecei a entrar em contato com as modernidades e as coisas da cidade e do mundo lá pelos anos 1953/1958, a partir dos oito anos de idade, quando entrei na escola, (GRUPO ESCOLAR HENRIQUE BOTELHO), lá na minha amada cidade de São Sebastião, litoral norte do Estado de São Paulo.
No início era uma surpresa atrás da outra. Luz elétrica, banheiro com vaso sanitário, carteiras, alguns automóveis na rua, bicicletas, uma sala de música com piano e tudo. Embora com oito anos eu ainda estudasse no primeiro ano do grupo escolar (atual ensino fundamental). Por essa razão não tinha uma dimensão exata de tantas parafernálias que já existiam naquela época. Dentre elas, o rádio. Nele o povo ouvia música, novelas e narrações esportivas dos times de futebol profissional que eu nem sabia que existia.
Morador do perímetro rural eu nada sabia das coisas da cidade. Na minha casa nunca tivemos luz elétrica. Era tudo natural, na base da lamparina a querosene ou velas para clarear os cômodos da casa quando anoitecia. Rádios, eletrola, também chamada de vitrola (atual aparelho de som CD) só os ricos possuíam. Lá pelas nossas bandas não tinha nada isso.
Logo me enturmei com os garotos da cidade e comecei trocar figurinhas de jogadores de futebol dos principais times e me interessei em ouvir através do rádio as transmissões dos jogos. Foi quando escolhi o time do Santos como o meu favorito para torcer. Aquele uniforme inteirinho branco com detalhes amarelos nas mangas e nas golas das camisas eu achava lindo.
Quando eu ouvi um jogo entre do Santos contra o antigo Jabaquara, se não estou enganado o Santos ganhou de cinco a dois aí definitivamente me tornei santista. Engraçado que o meu irmão mais velho era e até hoje é corintiano; o do meio era palmeirense junto com o meu pai e na maioria dos outros amigos todos eram torcedores do São Paulo, Palmeiras e Corinthians.
Só tinha um garoto que era santista roxo chamado DORVAL. Depois que eu vim morar em Poá, região metropolitana de São Paulo, nunca mais o vi e nem tive notícias dele. O seu pai Benedito Ramos dos Santos, conhecido pelo apelido de BALÃO o oficial de justiça era um santista inveterado. Por falar nisso, em memória a esse cidadão que também por força das circunstâncias profissionais tornou-se um grande amigo foi quem me levou à Vila Belmiro pela primeira vez em 1.959 para assistir um jogo entre o Santos e um time do interior.
O meu sangue quente e salgado de caiçara é que me impulsiona sempre. Perdendo ou ganhando o amor pelo meu time é igual o amor de mãe. Inesgotável. Às vezes me aborreço com algumas contratações de determinados jogadores e de técnicos, bem como com decisões erradas da diretoria do clube, mas isso em nenhum momento abala o meu sentimento.
Como a maioria dos santistas sabe o nosso hino não é a marchinha LEÃO DO MAR que sempre é tocada pelas emissoras de rádio e de televisão. Letra e música são bem diferentes. Bem bonitas, porém, LEÃO DO MAR (também conhecida como SALVE O NOSSO CAMPEÃO) é a música de autoria de Maugeri Neto e Maugeri Sobrinho, composta em 1.955. Ficou tão bonita e fácil de cantar que hoje em dia pouquíssimas pessoas conhecem o verdadeiro hino do Santos Futebol Clube.
Eu também, mesmo sabendo não ser a música LEÃO DO MAR o hino do Santos, a gravei com um arranjo moderno em ritmo de bossa nova somente com o violão e uma bateria eletrônica, isto há uns três ou quatro anos atrás para publicar no meu site e no meu primeiro CD. Só que depois não consegui entrar em acordo com o empresário que estava resolvendo a questão dos direitos autorais para a autorização da gravação e a exclui do CD. Mantenho somente a gravação primeira, feita aqui mesma no meu computador sem mixagem ou outros recursos técnicos eletrônicos.
E é com muito prazer e alegria que juntamente com esta mensagem de amor e fidelidade ao nosso glorioso SANTOS FUTEBOL CLUBE, eu deixo de lembrança a todos vocês meus irmãos e amigos a minha BOSSA NOVA gravada com carinho para a marchinha LEÃO DO MAR, diga-se de passagem, a música mais linda do mundo tocada durante uma exibição do PEIXÃO DO CORAÇÃO num campo de futebol.
Por favor, deixem no meu site os seus comentários.
Abraço fraterno e apertado de um santista. CLEMENTINO, O POETA DE SÃO SEBASTIÃO.


AGORA QUEM DA BOLA É O SANTOS.
O SANTOS É O NOVO CAMPEÃO.
GLORIOSO ALVI NEGRO PRAIANO.
CAMPEÃO ABSOLUTO DESTE ANO.
SANTOS SEMPRE SANTOS.
DENTRO OU FORA DO AÇALPÃO.
JOGUE O QUE JOGAR.
É O LEÃO DO MAR.
SALVE O NOSSO CAMPEÃO.




 
 
Enviado por CLEMENTINO POETA E MÚSICO em 20/07/2014

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Depósito em minha c. c. oportunamente.). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.



Comentários