BOM DIA, BOA TARDE, BOA NOITE E BOA SORTE. QUE DEUS NA SUA INFINITA BONDADE NOS ILUMINE HOJE E SEMPRE.
CLEMENTINO POETA E MUSICO
Paraiso dos poemas e canções do CAIÇARA CLEMENTINO, poeta e músico de São Sebastião - SP/BR
CapaCapa TextosTextos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos




 
PENSEM NISSO



 
Exatamente  caros amigos e leitores. 
Tenho uma posição muito definida quanto à questão da proliferação da criminalidade. Enquanto as autoridades alisarem os cabelos e protegerem os facínoras mirins (criançolas de dezessete anos, onze meses e vinte e nove dias) e não aprovar a maior idade penal para apenas dezesseis anos para que esses menores sejam presos e processados, com certeza absoluta a criminalidade e os crimes só aumentarão. Tem pais que usam os seus próprios filhos para delinquir.
Uma pergunta  recorrente que o Brasil inteiro já fez, mas que precisamos nela insistir: Por que o menor de dezesseis anos pode decidir o destino do país com o seu voto e não pode ser responsabilizado civil e criminalmente pelos seus atos?
Com sete anos de idade eu ajudava o meu pai na roça; com nove anos eu vendia batatas, chuchus, bananas e ovos na rua pra ganhar uns trocos e ajudar a minha família; com treze anos completos eu comecei trabalhar no cartório (das 9 horas às 11 horas e das 13 às 17 horas).
Depois ia fazer um lazer  de uma ou duas horas na praia  ou no campo de futebol de (afinal, ninguém é de ferro) e em seguida ia para o colégio. Á noite dormia e às cinco horas da manhã trabalhava numa padaria como ajudante de padeiro e de confeiteiro ou vendendo pães na rua, até ás 08h30min h da manhã, para depois ir para o cartório novamente.
Nunca adoeci, nem morri por causa disso. Muito ao contrário: Sinto-me um privilegiado por isso. Talvez seja essa  a razão pela qual  hoje eu seja um poeta escritor e um músico respeitado. Além de um profissional que trabalhou 44 anos consecutivos. O ECA fabrica bandidos com certeza. Se não existisse esse famigerado Estatuto da Criança e do Adolescente protegendo BANDIDÕES, TROMBADÕES e FACÍNORAS de todas as espécies, pelo menos na versão e formato atual nós os pobres mortais não estaríamos vendo essa avalanche de crimes e criminosos. A partir do momento em que as autoridades resolveram alisar os cabelos dos bandidos e infratores mirins e proibiram os menores de trabalhar para ganhar o seu dinheiro, se sustentar e ajudar no sustento da família é que se proliferou a criminalidade nos quatro cantos do país.
Aliás, o trabalho infantil está proibido por lei, no entanto nas metrópoles  e grandes cidades de todo o Brasil a criançada continua trabalhando nos semáforos, nos trens, nos metrôs, nas feiras, nas praças públicas vendendo produtos muitas vezes roubados e ilegais, sem qualquer intervenção das autoridades. Nesse embalo muitos garotos se enveredam para o uso de drogas e outros crimes.
Outra pergunta: Por que essas autoridades do ECA, dos DIREITOS HUMANOS, da JUSTIÇA DO TRABALHO, do MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO, etc. não retiram essas criançolas das ruas e as levam para um colégio decente, dando-lhes condições de vida e de aprendizagem?
Penso, no meu modestíssimo conhecimento que só assim em cinco ou dez anos vamos diminuir a criminalidade no nosso país. PENSEM NISSO.
(CLEMENTINO, poeta e músico de São Sebastião – SP/BR.).
 
 
 
CLEMENTINO POETA E MÚSICO
Enviado por CLEMENTINO POETA E MÚSICO em 22/03/2018
Alterado em 22/03/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Depósito em minha c. c. oportunamente.). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários