BOM DIA, BOA TARDE, BOA NOITE E BOA SORTE. QUE DEUS NA SUA INFINITA BONDADE NOS ILUMINE HOJE E SEMPRE.
CLEMENTINO POETA E MUSICO
Paraiso dos poemas e canções do CAIÇARA CLEMENTINO, poeta e músico de São Sebastião - SP/BR
CapaCapa TextosTextos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos




 
O CHORO



 
 
Não chorar em nenhum momento. Ser duro e indiferente nos momentos em que em todos estão tristes. Não mover os olhos e derramar uma lágrima sequer por um ente querido ou um amigo que deixou este mundo, penso cá comigo que não é sinônimo de fortaleza ou bravura. Salvo melhor juízo, parece mais egoísmo ou egocentrismo. Claro, há as exceções. Existem pessoas que se calam por fora, mas por dentro estão aos prantos. Na terra há seres humanos rudes que choram por uma flor que murchou. O choro, desde que o mundo é mundo é inerente ao homem.
CLEMENTINO POETA E MÚSICO
Enviado por CLEMENTINO POETA E MÚSICO em 26/07/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Depósito em minha c. c. oportunamente). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários