BOM DIA, BOA TARDE, BOA NOITE E BOA SORTE. QUE DEUS NA SUA INFINITA BONDADE NOS ILUMINE HOJE E SEMPRE.
CLEMENTINO POETA E MUSICO
Paraiso dos poemas e canções do CAIÇARA CLEMENTINO, poeta e músico de São Sebastião - SP/BR
CapaCapa TextosTextos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos





 
A CHUVA - MENSAGEM PARA REFLEXÃO

 





 
 





(01)


 
Oh! Bendita chuva que no tempo e na dose certa nos faz tão bem.
Oh! Bendita chuva que regra as nossas lavouras fazendo-as florescer e produzir o nosso alimento de cada dia.
Oh! Bendita chuva que umedece o asfalto deixando-o mais fresco e suave, assim protegendo os nossos pés da ardência do piso quente pelo calor do sol, aliviando as nossas caminhadas diárias necessárias nos grandes centros urbanos e nas nossas estradas da vida.
Oh! Bendita chuva que regra os mananciais, enchendo os pequenos açudes, bem como as grandes represas assim permitindo a distribuição de água para tanta gente nos pequenos municípios, bem como e nas grandes cidades e metrópoles.
Oh! Bendita chuva que banha e ajuda encher os rios de forma coesa tornando-os ainda mais piscosos diante do volume de água que dela advém.
(02)
Oh! Maldita chuva que sempre chega na hora e em lugares errados causando tantos estragos, tantas tragédias, tantos desassossegos pra todo mundo nos campos e nas cidades, trazendo dor e sofrimento a tanta gente, principalmente aos menos favorecidos.
Oh! Maldita chuva que destrói sem dó nem piedade tantas pontes, estradas, viadutos, açudes, lagos, barragens, embarcações e vidas humanas, deixando outras tantas desabrigadas e sem amparo.
Ah! Bendita chuva, que para alguns, para um povo, para uma nação é benéfica e motivo de alegria, e, até de comemorações, porém maldita, mil vezes maldita chuva para aqueles a quem só causou dor e sofrimento.
É, amigos, esse bendito fenômeno simplesmente natural chamado chuva, que atualmente diante de tanta tecnologia nos avisa aonde e quando vai chegar independentemente da nossa vontade, a rigor só nos causa mal por conta dos nossos abusos e mau uso da terra em que vivemos.
Nós os seres humanos já causamos danos e destruímos muito mais matas, árvores, florestas, rios, mares, cascatas, faunas e floras, campos, prados e pastagens primárias do que toda chuva que já caiu na terra nesses últimos milhões de anos. Pensem nisso.
Os vândalos que promovem queimadas que o digam, pois sabem muito bem o mal que estão causando.
Maldito sim sejam a nossa cobiça e esse desejo mórbido de riqueza, progresso e poder indiscriminado, desmatando as margens dos rios, construindo pontes e viadutos sem necessidade: alguns inclusive inertes e inacabados, abandonados pelos poderes públicos.
Concluindo:
A chuva é sim uma bênção de Deus. Ela nunca veio para nos prejudicar. Deus jamais permitiria que a chuva nos fizesse mal. Nós, seres humanos civilizados que neste século XXI já progredimos tanto é que ainda não aprendemos a lidar com todos os problemas causados pela imposição da própria natureza que nos cobram diuturnamente pelo mal que a fazemos.
Humor:
Que tal ir à pizzaria e pedir uma pizza assada naturalmente pelo sol escaldante do verão e não assada no forno à lenha como tantos maus comerciantes que existem por aí fazem?
Pense bem. Um saco de carvão ou umas lascas de madeira é o resultado do corte de uma árvore de grande porte.
 
(CLEMENTINO, poeta e músico de São Sebastião – SP/BR.)








 
CLEMENTINO POETA E MÚSICO
Enviado por CLEMENTINO POETA E MÚSICO em 28/01/2019
Alterado em 04/02/2019
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Depósito em minha c. c. oportunamente). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários