BOM DIA, BOA TARDE, BOA NOITE E BOA SORTE. QUE DEUS NA SUA INFINITA BONDADE NOS ILUMINE HOJE E SEMPRE.
CLEMENTINO POETA E MUSICO
Paraiso dos poemas e canções do CAIÇARA CLEMENTINO, poeta e músico de São Sebastião - SP/BR
CapaCapa TextosTextos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos






O VERDADEIRO AMOR



 
 
 
 
O verdadeiro amor da nossa vida, aquele que realmente nos fará feliz eternamente, infelizmente não é possível identificá-lo imediatamente. São necessários muitos anos de convivência com ele.
 O verdadeiro amor compreende cada um dos passos e gestos da (o) sua (seu) amada (o) mesmo sabendo que são equivocados. Claro, nesse caso é necessário a reciprocidade.
O verdadeiro amor é cem por cento perdão durante as vinte e quatro horas do dia anos e anos. Aquele (a) que se rebela ao primeiro deslize da (o) sua (seu) parceira (o) sem antes buscar a origem e os motivos, não aceitando o diálogo, certamente ainda não tem convicção do próprio amor.
O verdadeiro amor transige sempre. Luta com unhas e dentes pelo bem estar da (o) sua (seu) consorte. É sempre cordante, mesmos nas coisas que sabe necessitar de reparos futuramente.
O verdadeiro amor em quaisquer circunstâncias procura o diálogo sincero diuturnamente para não cair em contradições.
Digo isso porque aprendi com o tempo a discernir o joio do trigo qual seja: Procurando entender  e saber separar o amor, a vontade de amar, o fascínio e a paixão. Pense nisso amigo leitor.



























(CLEMENTINO, poeta e músico de São Sebastião – SP/BR.)









 
CLEMENTINO POETA E MÚSICO
Enviado por CLEMENTINO POETA E MÚSICO em 28/01/2019
Alterado em 28/01/2019
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Depósito em minha c. c. oportunamente). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários