BOM DIA, BOA TARDE, BOA NOITE E BOA SORTE. QUE DEUS NA SUA INFINITA BONDADE NOS ILUMINE HOJE E SEMPRE.
CLEMENTINO POETA E MUSICO
Paraiso dos poemas e canções do CAIÇARA CLEMENTINO, poeta e músico de São Sebastião - SP/BR
CapaCapa TextosTextos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos




 
FORMAS DE SOLIDÃO



 
 
 
A rigor os seres humanos em se tratando de solidão,  tem visões antagônicas. No entanto, a meu ver, as nossas (minhas) parecem bastante coerentes.
Penso, posso estar errado, que a solidão é fatídica. Existem, queiramos ou não várias formas ou tipos de solidão.
A mais comum é aquela em que estamos rodeados de pessoas, inclusive da(o) companheira(o) que escolhemos para com ele conviver, mas de repente nos sentimos sós e um enorme vazio no peito e na alma.
Outra é aquela  em que esbarramo-nos a todo momento em determinada pessoa com a qual convivemos, mas incompatibilizados não a vemos mais como companheira, por isso nos sentimos só.
Dentre muitas outras existe aquela solidão que nos é benéfica, porque mesmo numa distância considerável sabemos que estamos sós apenas física  e temporariamente, mas que os nossos espíritos estão sintonizados e em perfeita harmonia. Porém, esta última hoje em  dia é bastante rara.
 
(Clementino, poeta e músico de São Sebastião – SP/BR.).
 









 
CLEMENTINO POETA E MÚSICO
Enviado por CLEMENTINO POETA E MÚSICO em 30/03/2019
Alterado em 30/03/2019
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Depósito em minha c.c. oportunamente). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários