BOM DIA, BOA TARDE, BOA NOITE E BOA SORTE. QUE DEUS NA SUA INFINITA BONDADE NOS ILUMINE HOJE E SEMPRE.
CLEMENTINO, poeta e músico de  São Sebastião - SP
Paraíso dos poemas e canções de um poeta e músico caiçara
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos





















 














Peguei uma carona com a felicidade. Inicialmente ela seguiu por caminhos bem conhecidos e eu me senti confortável. Claro, muito feliz. Assim, despreocupado da vida e de tudo não me dei conta do que acontecia ao meu redor.
Pessoas tristes e infelizes reclamavam das suas sinas e má sorte até blasfemando. Na minha posição privilegiada seguia indiferente. Afinal, a felicidade me acolheu e me guiava diuturnamente.
Dizem os sábios que nenhum homem consegue ser feliz as vinte e quatro horas de cada dia durante a semana, o mês e o ano. E que, muito menos é infeliz pelos mesmos períodos, posto que seja comum as situações se inverterem em determinados momentos.
Assim, passados longas décadas fui surpreendido com a felicidade me abandonando com as seguintes recomendações:
“Doravante terás que seguir sozinho me encontrando dentro de si mesmo, visto que externamente estarei acompanhando outros dos teus irmãos menos favorecidos. Terás alguns contratempos e muitos obstáculos a serem superados. Mas seguindo com cuidado, fazendo exatamente o que fazíamos quando caminhávamos juntos certamente conseguirás viver bem e trilhar a tua meta terrena com sucesso”
Foi um choque tremendo. Não construí nada, não programei nada, não me preparei para o futuro. Ali estaca eu na estaca zero como há cinquenta anos atrás. Com alegria e esperança me peguei à última frase da felicidade: “Seguindo com cuidado, fazendo exatamente o que fazíamos...”
Hoje em dia, já ao caminho do ocaso, dou-me ao luxo de dizer que a felicidade está comigo sempre. Os meus momentos de alegria e de sorrisos superam em muito todos os meus momentos de dissabores e de infelicidade.




 
CLEMENTINO POETA E MÚSICO
Enviado por CLEMENTINO POETA E MÚSICO em 08/07/2019
Alterado em 08/07/2019
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Depósito na minha c.c. oportunamente). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários