BOM DIA, BOA TARDE, BOA NOITE E BOA SORTE. QUE DEUS NA SUA INFINITA BONDADE NOS ILUMINE HOJE E SEMPRE.
CLEMENTINO, poeta e músico de São Sebastião-SP
Paraíso dos poemas e canções de um poeta e músico caiçara
Capa Meu Diário Textos Áudios E-books Fotos Perfil Livros à Venda Livro de Visitas Contato Links
Áudios
AFINIDADES
Data: 19/11/2009
Créditos:
COMPOSITOR: FRANCISCO ARAUJO
AUTOR DA LETRA: CLEMENTINO
INTERPRETE: MARAYSA
PARTICIPAÇÕES:
CLEMENTINO [violão]
CHIQUINHO RODRIGUES [flauta]
GILSON FERREIRA [percurssão]
ESTÚDIO do RUBINHO, em Guarulhos-SP;
DATA: SETEMBRO DE 2.006.
Copyright © 2009. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
AFINIDADES



A gente pensa que não vai esquecer
Um grande amor que começou e findou,
Que outro amor vai nos fazer infeliz,
Tudo é mesmo assim.
A gente acha que a vida é igual
Que todo mundo vai saber perdoar;
Nossa falha é não querer parar,
Afinidades assim,
Muito comum entre nós,
Porque, pra que insistir?,
Esperar e sofrer?
Vai ser difícil esquecer,
A vida pode ensinar,
Porque então caminhar?
Nesta estrada sem fim.
A gente sente que um dia,
Um dia ha mais, pode modificar,
Nossa forma de ser;
Pode até enganar...
Afinidades que
em nós
Era pra se entender,
Era de se esperar
Que tudo fosse normal,
Não se perdesse na vida
O tão sonhado amor;
Aquele amor que findou,
Que nos deixou sem saber,
E que agora somente
Teremos que esquecer.



 
 
 
Nota do autor:
 
 
                  AFINIDADES é a música da faixa 12 do album DEITANDO E ROLANDO, [2º CD, lançado pela CPC-UMES], do exímio solista de violão FRANCISCO ARAUJO, meu parceiro e amigo querido, que com esse lindo choro, pretendeu homenagear um dos grandes músicos e compositores brasileiro, "GAROTO".
                              Gostei tanto dela, que lhe pedi autorização para escrever uma letra para o tema, com o que ele prontamente concordou.
                              Disse-me o FRANCISCO ARAUJO, na época, que o choro era para homenagear o grande mestre GAROTO, músico que nos deixou inúmeras obras de sucesso, dentre elas "GENTE HUMILDE".
                              Para esta obra, mais de vinte anos após sua morte os poetas CHICO BUARQUE DE HOLANDA e VINÍCIUS DE MORAIS coloraram uma letra, gravaram e foi um dos maiores sucessos da cantora ANGELA MARIA nas décadas de 70/80.
                              Guardadas as devidas proporções, até porque o meu grande amigo FRANCISCO ARAUJO graças à DEUS está bem vivo, em nosso convívio e em plena forma, fazendo grandes shows por este BRASIL afora, e pelo o que todos representam para mim como músicos e poetas, segui o mesmo raciocínio, escrevendo uma letra para AFINIDADES.

 



 
Enviado por CLEMENTINO POETA E MÚSICO em 31/01/2009
Comentários